segunda-feira, 20 de abril de 2009

" Quando eu morrer, não quero choro nem vela..."



Esse mundo tá perdido! Não, não é uma frase de efeito. É a real! É meu povo... o mar não tá pra peixe! E ninguém parece mesmo ter um olho só nessa terra de ceguetas!
Mas o motivo de tanta revolta são as "coisas estranhas que os meninos fazem". Meninos de plantão, sintam-se a vontade para respostas elucidativas.
Veja bem:
Lá está a menininha, toda bonitinha, feliz feliz na solteirice, bem resolvida finaceiramente, humorada, hormônios equilibrados, encontrou a maquiagem certa, faz sol lá fora, os cachos dos seus cabelos estão alinhadíssimos, a loja predileta de sapatos está em promoção, perdeu dois quilos, comeu bolo de chocolate de sobremesa... Enfim: um equilíbrio só! Toda linda.
Lá está o menininho, barba por fazer, cabelo desengonçado, espinha na ponta do nariz, a blusa meio manchada de água sanitária por um acidente doméstico, nem lembrou de ver se tá sol lá fora- tanto faz mesmo-, havaianas no pé, tomou cerveja com os amigos no almoço... Enfim: o caos!
Mas eles se atraem, sabe-se lá O porquê. São os astros, ou uma explosão cósmica desmiolada. Se atraem. Conversam... bla bla bla ble ble ble bli bli bli. Até aí tuuuuuuuuuudo bem! Ninguém tem culpa mesmo, ou ambos as têm, culpas mútuas.
Conversa vai conversa vem. A semana flui em mensagens telefônicas, um papinho rápido aqui outro acolá. Marcam de se ver mais uma vez. Ele a pega em casa, todo bonitinho, tomou banho dessa vez, fez a barba certinha, se empenha na conversa. Ela arrumadinha, perfume predileto, batom especial, o cabelo... um arraso. Chove lá fora... mas quem é que liga mesmo pra chuva?
Beijo beijo beijo beijo
A deixa em casa.
E.................. e.................... SOME! S-O-M-E! SUMIU! Escafedeu-se!
Imagine a cabeça da menina. Fácil de imaginar: que diabos aconteceu? Será que o menino achou que ela se apaixonou perdidamente? Será que se achou assim tão sedutor a ponto de ser apaixonante no segundo olhar? Será que ele acredita em masmorra e que a coitadinha tem uma em casa? Será que o menino tem alergia a gatos( mesmo porque a menina cria dois beeeeeeeeeeeeeeem peludos e lindos e fofos e tudo de bom)? Será que morreu? Foi roubado? Não não, definitivamente ELE MORREU! Só pode. Sóóóóóóóóó pode! Coitadinho dele, M-O-R-R-E-U! Deu até pena.
E a menina começou a semana pensando em mandar flores pro enterro, uma vela bem bonita, uma dedicatória na lápide: Aqui jaz mais um maluco desse mundo.
Meninos, não nos importamos em não sermos" algo assim, tudo pra mim, como eu sonhava baby". Mesmo porque também não optamos por qualquer coisa que fica a disposição. Mas a deselegância de um desaparecimento súbito! Isso é irreal e desrespeitoso. Nem esperem decidir para então nos procurar... a decisão será tomada bem antes disso.
" Hasta la vista baby"
Resumão (criativo):
Generos Cinematográficos: 1. Documentário - ela é moderna e bem resolvida; 2. Comédia - aparece um carinha todo desajeitado que interessa a ela; 3. Ficção - Explosões cosmicas, várias delas; 4. Romance - Eles saem para jantar;5. Suspense - Ele some; 6. Drama - Ele morre no auge de sua juventude (algo bem grave deve estar escrito nas entrelinhas do texto); 7. Terror - O espirito inquieto do sujeito atazana a vida da garotinha indefesa; 8. Educativo - ensina uma lição de moral aos garotos; e 9. Animação - a imagem do burrinho aprendendo a ler.
Hasta la vista Baby (no melhor estilo exterminador do futuro)
por Adonay.

7 comentários:

temdeque disse...

Já disse, mas vim registrar. Senti-me representada pelas palavras Muchacha...affe...
Tem que pensar muito não, esse exemplo aí só cabe: Chuta que é macumba!!!!!
Beijocas

Lully disse...

Fique ansiosa não, porque essa ansiedade é lacuna para o desaparecimento! Compre a vela, um sapato novo e chame outro pra jantar, porque o povo só se toca quando sente cheiro de gente nova na área!!!

Franzinha disse...

rsrrs... por que eu não me surpreendo?... Tá tão clichê assim ou o nível de maluquice masculina só tá piorando na minha amostragem? rs
Bom, mas enfim, acho que este caso consigo captar algo. A menina era indiferente à chuva, o menino importava-se demais com ela... talvez aí morasse o problema.
Mais um "cristal quebrado"
No mais, tira a galinha preta da encruilhada que é macumba mesmooo!
Bjo

Maria disse...

Proooooooooooooooooooximo!
kkkkkkkkkkkk
Chama a benzedeira aí meu povo!

Franzinha disse...

"não se afobe não, que nada é pra já.
O amor não tem pressa, ele pode esperar
em silêncio, no fundo de armários
na porta distante, milênios, milênios no ar
(...)
não se afobe não que nada é pra já
amores serão sempre amáveis
Futuros amantes, quiçá, se amarão sem saber
com o amor qe um dia deixei pra você"

Maria disse...

Chico Buarque num vale! Mas num tô nada afobada! hahahahahahahaha pelo contrário...
Bjs.

Cris disse...

Pois Creusite, depois de tanta espectativa frustrada, tô achando q a tese do Saramago é plausível: este emacumbamento coletivo dos menininhos está em proporção exata com seu ensaio da cegueira.. hehe Enquanto isso, o remédio a gente sabe bem.. Achei bem legal esse depoimento: http://www.maliciadetodamulher.blogspot.com