sexta-feira, 25 de setembro de 2009

"Cachos"


Acordei tarde
Dei alento ao sorriso
Cachos soltos
Tão lindos
Convites choveram
Cachos negados
Fico em casa lendo meu John Lennon
Tão gostoso

Resumão:

Hoje não tem resumão, venho aqui para protestar: Protesto em nome de meu irmão e de meus pais.
Seus textos estão muito pequenos, o qu
e vem inviabilizando a minha idônea participação. Tomo esta atitude como inicio de uma tentativa de golpe. Para começar a minha argumentação venho lembra-la que eu fui a primeira pessoa a estimular você a passar as coisinhas da cabeça para a coisinha da internet, e agora sinto que estou sendo escanteado. Aceito suas reclamações pelas minhas ausências, mas é assim que um gênio trabalha.
Atualmente desempenho mais atividades do que as 24h do dia me permitem realizar, e acredito que nem Jack Bauer conseguiria fazer tudo que eu faço (com a participação especial do Macgyver, talvez ele consiga). Mestrado, concursos, trabalho, namorada, cachorros, gatos, cágados, trocar água do filtro, almoçar, escovar os dentes, dormir d(-.-)b, chorar, sorrir, comer mais um pouquinho, fazer regime (blerg!), resumão, e outras coisinhas mais, são exemplos de minhas atividades. Por tanto solicito textos mais extensos a fim de garantir a minha contribuição neste espaço. Caso resolva frustrar esta tentativa leviana de golpe autoral, levarei esta petição a os mais altos escalões da politica nacional e quiçá da justiça brasileira. Grato pela vossa atenção, Adonay (vulgo: José Tiago de A. Rolim).

Resumão do Resumão:

Magoei!
by Adonay

Hahahaha
Que comovente! Mas anda faltando tempo desse lado do equador também!!! Tentarei melhoras irmãozinho. Reivindicação anotada!
Beijo imenso.


3 comentários:

Maíra Caldeira disse...

Acho que vc deveria sair para exibir os Cachinhos dourados!!!

Franzinha disse...

Hum... me engano ou percebi alguma coisa embaixo dos caracóis dos seus cebelos? Aposto que tem mais história pra contar por trás do pequno poema. Uma história de uma libedade maior, que não está condicionada necessariamente a sair de casa. Uma liberdade de aceitar seus belos cachos soltos e livres e abrir um lindo sorriso para o espelho!!
Amooooooooooo!!!!!!!!!!!!!!!
Beijosssss

Maria disse...

Má, fiquei em casa mesmo... Quietinha, quietinha. Mas os cachinhos estão inteiros e dias melhores de desfiles virão.
Fran, que lindo isso que você escreveu amiga! Ohhhhhhhhhhhhhhh
Definitivamente, não há nada como um sorriso ao espelho!!! Sorrir-se pro mundo quando se sorri pro espelho!
Beijo às duas.