domingo, 15 de março de 2009

Do que tem medo?

Pergunte-se: "Do que tem medo?"
Moço moço, do que tens medo?
Tens medo do escuro? Medo do claro? Da ilusão? Realidade? Do amor? Do domingo ou da segunda-feira? Das drogas? Da "cara"? Da confissão ou segredo? Das antíteses? Dos iguais?
Do telefone não tocar? De tocar? De ligar?
Da Música? Silêncio? Ausência? Correções? Dos erros?
Dos erros! Dos erros sim, medo. Medo de seguir a direita quando pela esquerda pode ser mais calmo e rápido. Medo de peder-se nos erros e nunca mais se encontrar. Medo do 'nunca mais'. Medo do 'pra sempre'. E se errar, terá chance de acertar? Terá... volte duas casas, pegue a esquerda, desvie, leia um poema, beije os pés dos seus pais, ame seus filhos, perdoe seus irmãos, desculpe-se... terá.
Das escolhas? Da falta de opções?
Escolhas. E agora? Posso ir ou ficar, nenhum é ruim de todo. Mas qual será ótimo, perfeito, maravilhoso? Volte duas casas novamente.
Do cuidado? Descuido? De Casa Forte? De Casa Amarela? Do trem? Sedex? Carta? Telefone? Da internet?
Da imigração? Emigração? Do sexo? Do celibato? De enlouquecer ou de manter-se são? De ser reprovado? De não fazer a prova?
E escolher não fazer a prova? Melhor a dúvida do que a certeza de não ter sido aprovado? Inspiro-me nos que fazem as provas, têm coragem e encaram o claro ou o escuro.
Fácil seria se a vida fosse um jogo de tabuleiro. Jogaríamos os dados, voltar-se-ia duas casas como castigo( ou segunda chance).
Levante a cabeça! E pergunte-se" Do que tem medo?"
Encare-os. Torço para isso. Torço muito mesmo.

5 comentários:

Cuma? disse...

Muito humano isso amiga...Ah, também torço!!Beijos beijos

Anônimo disse...

Belo texto, muito bem escrito...
Parabéns pela sensibilidade.
Ah, agradeço a citação lá embaixo. rs
Bj.
Daniel

Beto disse...

Tem uma musica do Nuno Mindelis muito boa sobre esse assunto, vale escutar pela letra e som...eu, por exemplo, seguindo a linha de Raul gostaria de manifestar que só há pouco entendi o que é perder o medo da chuva...bjs!!
PS: Adoro Recife tb, minha 2a terra e centro cultural introspecto do NE!

Maria disse...

Mi, somos humanos demasiado humanos! rs Graças!
Daniel, obrigada pelos elogios! A citação abaixo é mais um estímulo!
Beto, a chuva não derrete nem machuca! Quase nada causa um mal estar maior do que o fato de não tentar! Procurarei a música sim!
Recife é minha cidade natal! Só tem artista lá.
Um beijo meus amigos.
Maria

Francinele disse...

Minha querida... só tenho uma coisa a dizer sobre o medo, e vou expor esse meu pensamento aqui, pra que possa refletir:

-Ah! Quantas coisas perdemos por MEDO de perder!!

Lembro que quando eu era criança eu era medroooosa... toda noite corria pra cama da mamãe, com medo do escuro. Um dia, perguntei a minha mãe:
- Mãe, quem tem fé, tem medo?
Até hoje ela não me respondeu. Desconcertou-se, mudou de assunto, e disse:
- A gente tem que acreditar em Deus, filha!
Tenho guardada em mim essa pergunta. Alguém conseguiria ter uma fé tão grande que superasse todo o medo? absolutamente todo o medo? Não falo aqui em religião... falo em fé, em acreditar que vai dar certo, em confiar em si a tal ponto, a ponto de canalizar tudo o que há de positivo para a sua existência :)
E como seria uma geração sem medos? É o medo o nosso freio ou a nossa mola injetora?
E isso me levou a pensar em quantas coisas "perdemos" por medo de "perder"... deixamos de agir, deixamos de enfrentar, mas será que perdemos de fato? ou será que é só mais uma dicotomização natural e evolutiva dessa vida regida pelo livre arbítrio?!
Beijos
Fran